sábado, 18 de outubro de 2008

Arte com princípios de economia solidária


texto por Lucélia Brito veiculado no Diário de Pernambuco






Em esperanto, língua criada para facilitar a comunicação entre os povos, Lumo significa luz. A escolha do nome do mais novo coletivo do Recife mostra o desejo do grupo de integrar música e arte através de uma organização participativa, baseada na economia solidária. Na noite de hoje, o Lumo Coletivo mostra um pouco do trabalho que vem realizando nos últimos três meses durante a segunda edição do Quintal do Lumo, festa que começa às 22h, no Quintal do Lima (Rua do Lima, Santo Amaro). Ingressos para a festa custam R$7.


Agregando bandas independentes, produtores, roadies, iluminadores, designers, publicitários, engenheiros de som, artistas plásticos, jornalistas e fotógrafos, o Lumo busca oferecer os meios de produção e a infra-estrutura para os mais diversos projetos artísticos. Apesar da idéia não ser nova, o coletivo tem o diferencial de ser voltado para as novas formas de comercializar a música, além de planejar a carreira dos artistas desde o início. "Quem quer ser músico tem mais é que participar de toda a cadeia de serviços, desde a panfletagem até a produção. Nada de ficar reclamando ou esperando ser descoberto por um produtor cultural", afirma Henrique Campos, integrante da banda Nuda.


No Quintal do Lumo II, o destaque é o trio matogrossense Macaco Bong, nome importante do rock instrumental brasileiro. A banda amplia a estética do rock'n'roll, fazendo improvisos com o jazz, o fusion e o pop. Também hoje, A Comuna, grupo que faz parte do Lumo Coletivo, apresenta seu primeiro álbum, Maldito, com um som que mistura poesia e imprevisibilidade. O rock continua com a potiguar Calistoga, lançando o álbum Normal People's Brigade.


Além das apresentações musicais, o Quintal do Lumo II terá uma exposição da artista plástica Mari Patriota e intervenções visuais do coletivo pernambucano TV Primavera. Os integrantes do coletivo e seus agregados prometem mais intervenções e surpresas para breve. "Pensamos em montar um circuito de bandas independentes, que possa percorrer todo o estado. Também queremos fazer um festival que integre música e artes já em 2009, além de difundir a nossa troca de serviços com a criação de uma moeda solidária", adianta Henrique Campos.

Um comentário:

Gustavo Calistoga disse...

hey galera. o link quem vocês colocaram do calistoga esta errado

esta /calistoga
o certo é /bandacalistoga

abração
hoje estamos colocando um agradecimento para vcs no nosso fotolog.

www.fotolog.com/calistoga_