terça-feira, 16 de setembro de 2008

Cobertura: Quintal do Lumo

Antes tarde do que nunca.
Na última sexta-feira, dia 12, fui e participei da festa Quintal do Lumo, no bar Quintal do Lima. Se você leu as postagens anteriores, deve estar sabendo do que se trata.

Bem, foi o primeiro evento externo do nosso Lumo Coletivo. (Digo nosso porque eu, Gago, participo) Como fugi da profissão de jornalista para escapar, entre outras coisas, da obrigação de ser crítico ou de não ser, o que eu escrever aqui está longe de ser uma análise imparcial ou institucional, espero. Que fique claro que as impressões abaixo são minhas, e não do coletivo como um todo. Nada de porta-voz oficial.

O evento da última sexta foi o primeiro experimento de produção do Lumo. Acho que a tentativa era começar com algo pequeno, mas nunca medíocre. Para quem não foi, tem uma matéria aqui do Recife Rock falando sobre a festa, sobre os shows e mais um monte de comentário interessante de pessoas que gostaram ou não do evento e da iniciativa do coletivo. Você pode aumentar a polêmica e fazer o Lumo ficar mais famoso: aqui. O Lumo agradece.

Quando cheguei no Quintal do Lima, me supreendí. Das últimas vezes que eu tinha ido o lugar tava bem sem graça, com aquele toldo antigo e mofado lá atrás e sempre sem iluminação. O dono da casa deu um upgrade bem bacana na parte onde acontencem os shows. Mudou o teto, colocou algo mais digno, comprou umas luminárias de jardim e pintou as paredes. Ficou bem melhor. O pessoal do Lumo deu uma embelezada com um cenário de belas bolinhas de papel coloridas, incrementou um pouco nas luzes e trouxe a música, claro, com uma bela ajuda no equipamento de som. Acho que o cara lá do Recife Rock também falou disso. Enfim, o lugar tá bem mais interessante pra quem quiser fazer shows.

Fora essa parte de shows, tinha um bazar das queridas Tereza Pimental e Dora Lucena no mezanino. As pessoas podiam, inclusive, trocar de roupa na festa, o que era bem divertido e curioso. Laércio também pintou umas coisas boas por lá e fez uma bela doação para a futura Galeria de Arte Cobertura. Você já pode fazer doações. Mande um e-mail para lumocoletivo@gmail.com.

Como é da cultura do Quintal do Lima, é impossível começar um show às 22h. Então a primeira banda começou perto da meia noite mesmo. Para quem gosta de reclamar de atrasos, infelizmente, não se pode mudar tradições milenares de um dia para o outro! As pessoas puderam contar, então, com a grande contribuição de bom gosto musical do Dj Justino Passos antes que os shows começassem.

Pelo que sei e ví, tudo correu bem e as pessoas me pareciam agradáveis e/ou satisfeitas com o que estava acontecendo. A não ser por um comentário realmente engraçado que ouví por outros ouvidos: “isso aqui é algum resort pra eu ter que andar de pulseirinha?” Eu realmente admiro o senso de humor das pessoas (e falo isso sem ironia).

Depois, já pelas 3 horas da manhã, faltou cerveja no Quintal do Lima, fantou cerveja no bar da esquina e a festa acabou. Isso é terrível. Mas acabou. No futuro próximo e distante, espero que o Lumo consiga agregar mais e mais pessoas interessadas em produzir mais e melhor. Os endereços e contatos estão por aqui e por aí.

Segue algumas fotos do evento:


Público na área externa;



Bazar de roupas e acessórios;



Público na área interna;



Camarones Orquestra Guitarrística (RN)



Dante Augusto e Daniel Araújo, da Camarones.



Nuda (PE)



Detalhe da decoração em origamis!

4 comentários:

Gago disse...

Que bonito ficou este blog.
Parabens aos designers!
Obrigado pela fotos no meu post.

Anônimo disse...

é por isso que o refrão dizia assim: antes Gago do que nunca

O resto é tchotcho



scalia

Zepjor Volaia disse...

Tá coisa linda demais! As fotos ficaram iradas!!!

Valeu!


Rapha

Sapo Desplugado disse...

Lindo demais laurita.